terça-feira, 21 de abril de 2015

Filha do coração


Fui adotada logo que nasci e nunca tive qualquer contato com minha família biológica, nem nunca tive interesse em procurar saber porque pra mim, família é a que cria, educa e dá amor incondicional, coisas que eu tenho, sempre tive e sempre terei na minha família e não abro mão.

Quando eu descobri que ser "filha do coração" significava "não ter nascido da barriga da minha mãe" eu fiquei muito chateada, sim, mas meus pais sempre trabalharam muito comigo essa questão, em especial a minha mãe que sempre teve uma "coisa" comigo muito grande! Um grude mesmo, uma superproteção, um amor imensurável!

Ela perdeu dois filhos biológicos, sendo um deles uma menina, então ela sempre me dizia que "Papai do Céu levou um anjinho porque era hora de outro vir à Terra" e por muitos anos eu não entedia porque Papai do Céu quis fazer uma coisa dessas (levar os meus irmãos e me tirar dos meus pais biológicos), mas hoje eu entendo perfeitamente: meus irmãos, filhos biológicos dos meus pais adotivos, nasceram com problemas de saúde crônicos e provavelmente se estivessem vivos hoje, ainda os teriam, o que os incapacitariam de cuidar da nossa mãe que hoje é portadora da Doença de Huntington, uma doença degenerativa incurável e progressiva, e por isso depende 100% de mim, sua única filha adotiva e saudável, para cuidar dela do mesmo jeito que ela cuidou de mim enquanto pôde fazê-lo.

Sinto muito orgulho da minha história e tenho prazer em compartilhá-la. Acho que tudo nessa vida tem um motivo pra acontecer, mesmo que a princípio não consigamos entender ou aceitar. Às vezes eu paro e penso: "E se eu não tivesse sido adotada, o que seria de mim hoje?" ou "E se meus irmãos estivessem vivos, eu teria sido adotada do mesmo jeito?" São perguntas que nunca terão uma resposta concreta, mas eu criei minhas próprias respostas: Se eu não tivesse sido adotada, talvez nem estivesse viva hoje ou mesmo se estivesse, sabe-se-lá que tipo de vida estaria levando, então tenho mais é que agradecer por essa bênção que Deus me deu que é ter encontrado uma família aberta pra me receber e me amar, independente se o sangue que corre em minhas veias é igual ou não ao deles; o que importa é que o sentimento que nos une é o mesmo: o AMOR.

6 comentários:

  1. Pais são mesmo aquelas que amam, educam e criam, independente se o filho veio deles ou não. Não existe amor mais lindo que esse que é sentido por pessoas que não são do nosso sangue. Você é uma garota de sorte, e sua mãe uma mulher de muita sorte também, por ter uma filha tão incrível como você! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Rovs! Me sinto muito abençoada mesmo! ^^
      Bjuss

      Excluir
  2. Família é amor. Não importa a biologia, o amor é mais forte.
    Também sou adotada, mas conheço minha mãe biológica e quanto mais sei sobre meus pais adotivos mais eu tenho certeza de que eu sempre fui destinada a ser filha deles. Minha mãe biológica serviu apenas como "forninho".
    Sei que você é a filha sonhada e amada pelos seus pais e você só não é filha biológica deles por um mero detalhe.
    Bjuxxxxx

    ResponderExcluir
  3. Ju nao sabia disso! Com certeza, pais sao os que nos dao amor e nos criam! To amando seu blog. Vou seguir beijos e saudades

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A burra aqui excluiu o outro comentário por acidente.
      Vontade de voltar não me falta, mai frrerêndi.. falta-me emprego pra ter glamour! :(

      Sim sou adotiva! :)
      E me orgulho muito disso e não troco minha pequena nem meu mala por nada!! 💜

      Excluir
    2. A burra aqui excluiu o outro comentário por acidente.
      Vontade de voltar não me falta, mai frrerêndi.. falta-me emprego pra ter glamour! :(

      Sim sou adotiva! :)
      E me orgulho muito disso e não troco minha pequena nem meu mala por nada!! 💜

      Excluir